Jornal Aldrava Cultural
ISSN 1519-9665
S B P A - Lino Mukurruza
Artes Visuais
Cartas

Lino Mukurruza

Sociedade idealizada por Andreia Donadon Leal
Logo criada por Gabriel Bicalho


Lino Mukurruza (pseud.). Lino Sousa Mucuruza, moçambicano. Publicou “Vontades de partir & outros desejos” – Poesia. (FUNDAC, 2014), “Almas em tácitas” – Poesia (LUA DE MARFIM, 2015) Colabora em diversas revistas, nacionais e internacionais, só para destacar algumas: (“PIRÂMIDE”, “SOLETRAS”, “LITERATAS”, “CORREIO DA PALAVRA” – Revista da ALPAS 21, “XITENDE”, “SINESTESIA” Caderno literário “PRAGMATHA” entre outras). Consta nas antologias poéticas “CLEPSYDRA” – Coordenada pela poeta Gisela M. Gracias Ramos Rosa - (COISAS DE LER, 2014), “À FLOR DA ALMA” – Coordenada pela poeta Sandra Ferrari Radich Fresa - (SOL, 2014) “Vozes do Hiterland” (Letras de Angola, 2014), “PREMONIÇÕES” – (LUA DE MARFIM, 2015), “POEMA-ME” (LUA DE MARFIM, 2015), “POESIA DE PINTAR E SER FELIZ” (LUA DE MARFIM, 2015) na 12 Volume da antologia “LOGOS” (Janeiro, Fevereiro 2015), foi vencedor mencionado e participa na antologia do XXX prémio mundial de poesia “NÓSSIDE” 2014. Vencedor em segundo lugar do 2º Concurso de Literatura da Academia de Letras, Artes Ciências de Brasil (ALACIB). Vencedor em 3º lugar do concurso internacional de literatura ALPAS 21 “a palavra do século” (Brasil, 2015). Actualmente cursa Português na Faculdade de Ciência da Linguagem, Comunicação & Arte da Universidade Pedagógica (Niassa) igualmente membro de direcção (tesoureiro) do Clube de Escritores Poetas & Amigos de Niassa (CEPAN) Correio electrónico: umaabordagemliteraria@gmail.com


espectro do vento - aldravias de Lino Mukurruza (Niassa - Moçambique)

escória?
é/ou
coliformes?
na
mente
lucida?
utopia
piada
disfarçada
farrapos
nos
pobres
povo
eu
eles
ou
melodia
vazia
estrondo
de
gente
pedra
sôfrega
d'elite

sonho
sono
venho
mono
mundo
medo

lombra
lembra
sombra
tapete
ao
chão/corpo
corpo
humano
múmia
corpo
pedra
vida/constância
tacto
flash
constante
imagem
vista
intacta
-morcego
algum
-treva
alguma
estou
cego

eu
sou
tu
o
pensamento
insecto(s)
barata/o(s)
e/ou
car(r)os
amigo/a(s)
mata/m
galáxia
sobre-posta
toda
sombra
alma
esquiva
paira
pára
intacta
nuvem
subversa/ao
m/ar
supérfluo
a
mante
a
lente
afunda

grasna
olhar
flash
maquina
flash
aponta

uma
morte
dói
duas
mortes
dói-dói
sinto
a
paz
na
paz
sopa(z)
lua
nua
amua
nevoa
trovoa
voa
paisagem
na
imagem
gente
é/na
margem
sol/luz
e/ou
clama/ calma
inflama/flama
nada/nem?
nem/nada

voo
pássaro
suspenso
néctar
de
asa.


n o
topo
empena
abusa
antena:
- mente

 

 

Página criada em 18 de outubro de 2015
Editor: J. B. Donadon-Leal